Adolescente é enterrado vivo após ser agredido a golpes de enxada em matagal de Ji-Paraná, RO

Vítima de 13 anos foi atraída por grupo de quatro suspeitos com o pretexto de usar maconha na região no último fim de semana. Polícia segue investigando o caso.

Um jovem de 13 anos foi enterrado vivo após ser agredido por quatro suspeitos em um matagal no Bairro Valparaíso, em Ji-Paraná (RO), município a pouco mais de 370 quilômetros de Porto Velho. Conforme informações preliminares da Polícia Militar (PM), a vítima teria atraída por eles ao local com o pretexto de usarem maconha. O crime aconteceu no último fim de semana.
O jovem, ainda segundo a polícia, foi agredido pelo grupo com um golpe de mata leão e outros de enxada. Um dos principais suspeitos pelo crime, um adolescente de 17 anos, foi ouvido pela polícia na manhã desta segunda-feira (15).
De acordo com a delegada Renata Estela, que acompanha as investigações, o crime teria sido motivado pela revolta do jovem. Conforme a apuração policial, a vítima estaria contando sobre os crimes que praticou com o grupo pelo bairro, como roubos e furtos. Com isso, os quatro resolveram arquitetar um plano para assassinar o rapaz.
Segundo o boletim, o suspeito teria convencido a vítima de ir com ele a um local de mata fechada. No local, eles consumiriam maconha e depois plantariam um pé. Por isso, levaram uma enxada.
Após atrair o adolescente, o grupo teria o enforcado, agredido com a enxada e enterrado o garoto vivo, acreditando que ele estivesse morto.
Uma equipe da PM se deslocou ao local do crime após uma denúncia anônima. Lá, os policiais identificaram e encontraram o suposto mandante do crime e a enxada usada na agressão. Foi o adolescente que indicou aos militares onde o corpo estava enterrado.
A delegada informou que o caso segue sendo investigado e que assim que tiver mais informações vai se pronunciar.
“Nós estamos apurando todo o caso. Mas o que podemos dizer que o crime chama atenção pela violência em que foi praticado”, disse.
O caso foi registrado na Unidade Integrada de Segurança Pública (Unisp) da cidade.

Por Gedeon Miranda, G1 Ji-Paraná e Região Central

Comentários no Facebook